Com cinco convênios novos, notas do Enem são aceitas em 47 instituições portuguesas.

COM CINCO CONVÊNIOS NOVOS, NOTAS DO ENEM SÃO ACEITAS EM 47 INSTITUIÇÕES PORTUGUESAS.

29.11.2019

O presidente do Inep, Alexandre Lopes (dir.), durante assinatura de convênio com mais cinco universidades portuguesas, nesta terça-feira (19), em Lisboa — Foto: Divulgação/MEC

 

O maior exame de acesso ao ensino superior do Brasil, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), ganhou mais cinco universidades portuguesas parceiras. O presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Alexandre Lopes, assinou os convênios na terça-feira, 19 de novembro. Com os acordos, chega a 47 o número de instituições de Portugal que aceitam as notas do exame, no chamado Enem Portugal.

Para Lopes, a ampliação no número de convênios, iniciados em 2014, cria mais oportunidades para os brasileiros. “Toda a oportunidade que a gente possa dar ao estudante brasileiro, dele se abrir para o mundo, buscar conhecimentos novos, é enriquecedora, e este é um trabalho muito importante para o Inep”, afirmou.

As instituições que, a partir destas assinaturas, também passam a integrar o Enem Portugal são:

  • Instituto Superior Manuel Teixeira Gomes (Ismat), em Portimão;
  • Instituto Superior Dom Dinis (Isdom), em Marinha Grande;
  • Instituto Superior de Gestão (ISG), em Lisboa;
  • Instituto Superior de Gestão e Administração de Santarém (Isla Santarém), em Santarém; e
  • Instituto Superior de Gestão e Administração de Gaia (Isla Gaia), em Vila Nova de Gaia.

 

O presidente do Inep assinou os acordos na sede da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias (ULHT), na capital portuguesa, Lisboa. A cerimônia foi conduzida pelo reitor da instituição anfitriã, professor doutor Mário Caneva Moutinho e os termos foram assinados também pelo presidente do Conselho de Gerência da entidade mantenedora – ISLA Santarém, Manuel de Almeida Damásio.

O reitor da ULHT, Mário Caneva Moutinho, comemorou a assinatura do acordo. “Estamos ansiosos por receber um maior número de estudantes brasileiros. Eles serão bem recebidos e bem integrados”, saudou Moutinho. O reitor acrescentou ainda que “este intercâmbio vai permitir, no futuro, que estes estudantes tenham implicação na vida social, econômica e cultural de ambos países”.

Texto: Assessoria de Comunicação Social, com informações do Inep

Compartilhar